6 pilares para seu site atingir a maturidade digital e conquistar resultados

6 pilares para seu site atingir a maturidade digital e conquistar resultados

Como já falamos por aqui, fazer um novo site é uma decisão estratégica importante. Ela demanda não só dinheiro, como tempo da equipe, além de um fornecedor capacitado, um bom entendimento das buyer personas do seu produto e um planejamento bem feito da arquitetura, do plano de trabalho e dos conteúdos. 

Todo site é uma ferramenta fundamental da sua estratégia, afinal, ele é a porta de entrada para as pessoas conhecerem sua empresa. Um site com arquitetura de informação confusa, pesado ou nada intuitivo, pode afastar possíveis clientes. É claro, como alguém vai escolher investir seu dinheiro em uma empresa que não cuida lá muito bem nem da sua própria casa (ok, um trocadilho infame com Home). Ah, sem esquecer do fundamental: a responsividade. Apesar da grande importância de ter um site responsivo, sendo inclusive um dos fatores de rankeamento do Google, muita gente acaba deixando de lado. Na era do mobile first, as empresas costumam deixar ele por último. 

 Aliás, ele também afeta seu marketing (e não só do marketing digital, mas do Offline também) e por isso deve ser avaliado também por essa perspectiva – qual a maturidade digital da sua empresa, e como o seu site se encaixa nisso? – essa análise é importante para entender se sua necessidade é mesmo um novo site ou está mais relacionada a uma entrega de marketing, analytics, conteúdo, publicidade, usabilidade ou compatibilidade com novas atualizações tecnológicas.  

 D3M – Entendendo a maturidade Digital do seu Marketing 

Para ajudar nessa análise – que não é simples de fazer, e em geral envolve diversas áreas diferentes dentro da empresa – nós da Conectt (em nossa unidade de Marketing Preditivo: a Math Marketing) criamos o D3M (Digital Marketing Maturity Model). O D3M é uma ferramenta online que avalia o seu marketing digital a partir de informações disponíveis no seu site e entrega um diagnóstico dividido em 6 pilares. Cada um desses pilares demanda uma ação diferente, com ferramentas e metodologias próprias, buscando resolver problemas específicos. Mas claro, ele não é focado apenas em marketing, já que a nossa metodologia também avalia os componentes do seu site, como a busca funcional, a estrutura, a responsividade, a sua representatividade perante a avaliação do Google entre outros.  

A boa notícia é que nem sempre é necessário mudar o site inteiro para resolve-los.  Mas é importante entender cada um deles, qual problema precisamos resolver e como ele impacta sua estratégia.  

Para facilitar essa conversa, detalhamos cada um dos pilares, quais os principais problemas relacionados e o que você pode fazer em cada um deles 

1 – Conteúdo – ou “Por que meu site não está na primeira página do Google” 

Essa é uma frase que escutamos bastante – preciso de um novo site para estar na primeira página do Google. 

Será mesmo? 

O algoritmo de busca do Google (ou do Bing, ou de qualquer outro) muda o tempo inteiro. Mas uma coisa nunca muda, conteúdo de qualidade, com relevância para a persona, muito compartilhado e referenciado (muita gente colocando links do seu conteúdo em outras páginas) é fundamental 

Talvez o que você precise aqui é de marketing de conteúdo, ou de inbound marketing, alinhado a uma estratégia robusta de SEO para melhorar a qualidade e o volume de acessos ao seu conteúdo e aumentar sua relevância. Correndo o risco de sermos repetitivos, mas nunca é demais lembrar: para estar no topo dos resultados de busca, seu site precisa ser leve, organizado e completamente responsivo. Se seu novo site ainda usa uma linguagem ultrapassada que não responde bem quando aberto em um celular, é um grande sinal de alerta para você pensar em uma atualização, seja um novo site ou uma mudança de estrutura imediata.  

2 –  Ads – ou ” Eu quero fazer anúncios para trazer pessoas para meu site” 

Mídia paga é uma ferramenta importante (mas não a única, e nunca sozinha) para aumentar o volume de acessos e a conversão de ações no seu site. Entretanto, são comuns campanhas desenhadas com foco apenas em cliques, sem estar integrada ao que acontece uma vez que o cliente chega no seu novo site.  

Aqui é muito importante entender qual o objetivo da campanha, se ela está otimizada para esse objetivo, se as tags de conversão estão aplicadas corretamente. Isso sem contar com o desenho de audiência que foi feito para a campanha, os grupos de teste para os anúncios e as ferramentas de otimização e oferta contextual.  

E novamente, não adianta investir todo dinheiro em anúncio, o Google sabe que seu site pode não ser muito bom. 

3 – Busca – ou – ” Ninguém navega nas páginas do meu site” 

Outra situação que encontramos bastante são sites com muitos acessos na home, mas nos quais ninguém efetivamente navega.  

Esse problema tem várias respostas diferentes, e algumas delas vão demandar a construção de um site novo. Mas, antes de chegar nesse ponto, podemos avaliar como está a estrutura de busca do site. Em outras palavras, o usuário consegue buscar informações no site? Essa busca está bem estruturada para entender o que o usuário quer? Ela está bem posicionada e clara? 

Uma estrutura de busca interna no site facilita o acesso rápido a informações importantes e aumenta a navegação nas páginas do site. Pense nisto especialmente se seu site tiver um grande volume de conteúdo.  

4 – Automação – ou – “Quero mandar mensagens automáticas para os usuários” 

 Empresas com um maior nível de maturidade digital já enfrentaram o problema de querer estabelecer uma conversa com os usuários do site. Seja por e-mail, sms ou bots, elas buscam aumentar o engajamento e a quantidade de usuários que voltam ao site, consomem conteúdo e se tornam clientes da empresa.  

Aqui precisamos entender se estamos recolhendo alguma informação do cliente – E-mail, Telefone, Social, Login. Sem isso, fica bastante difícil começar uma conversa e formulários, landing pages e funis de venda são soluções para coletar esses dados.  

 Mas isso não é o suficiente. Precisamos de ferramentas específicas para conduzir essa conversa com usuários. Essas ferramentas nos ajudam a controlar os contatos, entender a interação destes usuários e como ele se relaciona conosco. Podemos inclusive estabelecer critérios de quando devemos abordar esse cliente para uma venda, baseado no seu comportamento e perfil. 

Avalie as principais ferramentas de automação do mercado e veja se elas comportam o que você precisa. Não adianta você adquirir a ferramenta mais completa (que via de regra, são as mais caras) se falta você efetivamente saber o que quer fazer com ela. Olhe para a atual tecnologia do seu site. Ela é moderna? Ela é fácil de manusear? Você tem autonomia para editar páginas e conteúdo, ou precisa sempre abrir chamado para sua TI? Estes são alguns indícios básicos para você averiguar a maturidade da tecnologia empregada em seu site atual, pois a estrutura tecnológica do seu site pode frear a sua estratégia de automação.    

5 – Analytics – ou “Quantas pessoas visitam o meu site” 

Analytics é o coração de qualquer estratégia de marketing digital, ação digital e fornece um completo diagnóstico do que está funcionando ou não. Uma das grandes vantagens de operar nesse ambiente é a oportunidade me medir quase tudo o que acontece e tomar decisões muito mais precisas. Sair da discussão de “acho” e “gosto” para discutir hipóteses e teses baseadas em dados.  

Um bom processo de analytics deve partir da definição daquilo que se quer medir, e está sempre vinculado a estratégia e objetivos do negócio. O processo de implantação de analytics pode acontecer junto com a construção de um novo site (entretanto é importante ressaltar que se tratam de especialidades diferentes). Mas como é um processo que deve evoluir com o tempo, ele pode ser tratado de maneira separada e deve ser perene na execução das ações de digital.  

6 – Técnico – ou “Meu Site é lento e não carrega direito”  

Sites lentos, pesados e que não carregam são um problema. As ferramentas de busca, de mídias sociais, em ações orgânicas ou pagas, levam em consideração o tempo de carregamento do site quando estão gerando tráfego. Isso quer dizer que se seu site é muito lento, você vai ser penalizado.  

Isso é muito comum em sites que não foram preparados para navegação em Smartphones (importante lembrar que hoje mais de 50% do tráfego na internet é de mobile).  

Ainda assim, existem alternativas para resolver problemas técnicos sem a necessidade de construir um novo site. Revisão dos códigos, Mobile Sites e Criação de Landing Pages para ações específicas podem ser saídas mais simples. 

Mas aqui precisamos fazer um alerta. Seu site é a sua casa no mundo digital. É onde você vai se relacionar com o mundo e transformar prospects em clientes. Ele é a estrutura mais perene e vai impactar toda a sua estratégia e sua performance nos outros 5 pilares. Aqui, investir em um site novo pode fazer todo o sentido, principalmente construir um que já seja pensando levando os outros 5 pilares em consideração.  

Quer saber se você precisa de um Site novo? 

Acesse o D3M e faça sua avaliação. Entenda como você se posiciona em cada um dos pilares e, a partir disso, tome a melhor decisão para sua estratégia digital .

Vanessa Boettcher
vanessa.boettcher@conectt.com.br
Sem comentários

Deixe seu comentário